Os métodos de pesquisa científica em Ciências Sociais

por Esdras Vilas Boas


Além dos métodos gerais, indutivo, dedutivo, dialético, fenomenológico, hipotético-dedutivo, as Ciências Sociais utilizam-se dos seguintes métodos específicos:


Método Experimental

Consiste em “submeter os objetos de estudo à influência de certas variáveis, em condições controladas e conhecidas pelo investigador, para observar os resultados que a variável produz no objeto”.

Método Observacional

Muito utilizado nas ciências socais, sendo, em alguns casos, o único utilizado na pesquisa. O método observacional difere do experimental em apenas um aspecto. No experimental, o cientista toma providências para que alguma coisa ocorra, a fim de observar o que se segue, ao passo que no estudo por observação, ele apenas observa algo que acontece ou já aconteceu.

Método Comparativo

O método comparativo visa investigar diversos indivíduos, grupos sociais, classes, fenômenos ou fatos, verificando suas semelhanças e diferenças, podendo ser utilizado em todas as fases ou níveis da pesquisa. Sua ampla utilização nas ciências sociais deve-se ao fato de possibilitar o estudo comparativo de grandes agrupamentos, separados pelo espaço e pelo tempo.

Método Estatístico

O método estatístico é aplicado na quantificação de dados da realidade social, sua interpretação e análise, além das relações existentes entre esses dados complexos. Para tal, utiliza-se da estatística e da probabilidade inerente a ela. Importa na redução de fenômenos sociológicos, políticos, econômicos, a termos quantitativos e à manipulação estatística, que permite comprovar as relações dos fenômenos entre si, e obter generalizações sobre sua natureza, ocorrência ou significado.

Método Histórico

O método histórico consiste em investigar o passado para melhor compreender a realidade atual. Essa investigação pode ser de acontecimentos, processos, instituições, personagens do passado que contribuíram para a realidade da época em que viveram e até influenciaram os dias atuais. Trata-se da investigação das raízes passadas para melhor compreendê-las seja no momento em que fatos aconteceram ou até as contribuições para a realidade atual.

Método Monográfico ou Estudo de Caso

O estudo de caso é uma caracterização abrangente para designar uma diversidade de pesquisas que coletam e registram dados de um caso particular ou de vários casos a fim de organizar um relatório ordenado e crítico de uma experiência.

Consiste na investigação aprofundada de um caso, seja com especificidades particulares ou coletivas. A investigação deve examinar o tema escolhido, observando todos os fatores que o influenciaram e analisando-o em todos os seus aspectos.

Método Tipológico

No método tipológico, o pesquisador cria modelos idealizados, caracterizando-os, após a investigação da realidade, comparando os fenômenos sociais inerentes a ela. Tais modelos servem como parâmetro de estudo a casos concretos de investigação.

Método Estruturalista

Após a investigação de um fenômeno concreto, este é elevado ao nível do abstrato, por intermédio da constituição de um modelo que represente o objeto de estudo retornando por fim ao concreto, dessa vez como uma realidade estruturada e relacionada com a experiência do sujeito social.

A estrutura do fenômeno investigado serve como modelo para melhor compreender a realidade, já que o fenômeno foi simplificado, tornado inteligível, perante as relações existentes entre os fatos estudados, sendo, portanto, aplicável em outras realidades a serem investigadas.


Bibliografia:

Construção do projeto de pesquisa.



FIM